Carreira de Piloto


Boa tarde

Ano novo, vida nova… a frase é tão velha que eu nem faço ideia de quando ela publicada pela primeira vez… o autor então, esquece…

No ano de 2012 eu havia comentado que queria explicar um pouco sobre como é ter um clássico da indústria automobilística, poderia ser um Opala, Maverick, Mustang, Challenger ou Charger… acabei optando por uma oportunidade única ter um Fusca (que ainda assim não deixa de ser um clássico).

Para 2013 eu estou disposto a tentar um hobby novo, estava montando um Corsa para competição, porém por diversos motivos entre eles assalto, não pude concretizar esta vontade da melhor forma. Já corri em Interlagos e fiz um treinamento na pista, sei como é divertido e como mesclar essa diversão com segurança.

Para 2013, além deste investimento estou pensando seriamente em ter um o famoso Gol com mecânica fácil AP para preparação. Não sou uma das pessoas mais fascinadas pela mecânica AP da VW, mas a facilidade de preparação alinhado ao amplo conhecimento no mercado x baixo custo de preparação são fatores que eu ponderei bastante.

Hoje é possível encontrar o famoso GOl 1000 com míseros 50cv de potência no mercado em excelente estado por menos de 5mil Dilmas. A escolha do carro é um dos fatores de sucesso do piloto, a escolha do carro se deve a inúmeras características.

Eu achava sinceramente que seria a parte mais difícil escolher o carro, entretanto a categoria pela qual você irá competir também é uma escolha bem difícil. Existem diversas categorias, com diversas regras que devem ser seguidas e são auditadas a cada corrida, logo não é possível fazer um carro híbrido.

As categorias que irão requerer menor investimento do piloto são a corrida de antigos e a arrancada de carros originais. Entretanto é importante reforçar que para ambas as categorias são carros bem diferentes.

Existe também a categoria Track Day, que não é uma competição, tanto não é que não existe largada, os carros são colocados na pista com uma distância considerável entre um e outro para evitar justamente uma possível competição entre si. Claro que existem carros com mecânicas exageradas que irão dar voltas e voltas nos pilotos menos preparados (seja em categoria, desempenho ou veículo).

O Track Day exige um pouco mais do carro, por ser uma corrida onde o piloto irá dar diversas voltas, ou seja, freio, suspensão, pneus e toda a homocinética do carro deverá estar em dia.

Lembrando que as corridas de Track Day são bem legais mas assim como todas as outras envolve um custo razoável para a brincadeira. Pense nisso se você tem um carro com mais de 150cv. O ADG divulgou recentemente uma cena de um Track Day que ele mesmo fez em seu Alfa Romeu 156, onde apareceu um Uno aparentemente original. Porém o piloto segundo ele mandava bem, eu sinceramente não posso julgar a qualidade de um piloto em apenas 45s de vídeo, mas como ele estava presente acredito que realmente tenha sido satisfatório, achei legal ele compartilhar o momento do Track Day, mas dirigir com apenas uma mão, poderá comprometer um pouco a segurança dele e dos outros pilotos, mas enfim ele estava devagar…

Pensei em diversas vezes ter um carro para Track Day, mas acho que o C4 dá conta do recado na pista também. Gostaria de participar de um campeonato de arrancada, com um carro que faça de 0-100 em 7s ou menos e que nos 401m mostre respeito na aceleração e frenagem. Pelo custo de compra e preparação o Gol ainda sai na frente.

Assistam abaixo a edição do canal LSBrasil sobre o Track Day na fazenda Capuava

Vamos ver se eu consigo, o importante é conseguir montar uma equipe para essa finalidade,  os custos de uma carretinha apropriada para transporte do bólido pode ser um problema nessa empreitada.

 

Obrigado

 

 

 

 

Cronologia Chevrolet Corsa B


Boa noite,

Recentemente eu fiz um grande tópico falando sobre o Fiat Palio, esta semana o carro que merece destaque no site será o Chevrolet Corsa, o carro está presente no Brasil desde 1994, na época em que os carros estavam começando a ter linhas arredondadas, para quem não se lembra o Voyage, Gol, Chevette e Uno são um dos poucos exemplos de carros que foram produzidos no ano.

O carro mundial da Chevrolet está presente em diversos países da Europa, Ásia e América Latina, normalmente os carros sofrem alterações em seus nomes, no caso do Corsa não foi diferente, para os países que não adotaram o nome Corsa os nomes Chevrolet Sail e Chevrolet Barina substituíram tal nome.

Na Europa ele é montado pela Vauxhall e Opel (todas são Chevrolet). Voltando a falar sobre o carro, o Corsa veio para o Brasil com uma grande inovação, foi o primeiro carro nacional popular equipado com Injeção Eletrônica, nos anos 90 ainda era comum ver carros circulando com carburador ou o carburador eletrônico, que até hoje é odiado por mecânicos e proprietários.

O Brasil não recebeu o Corsa na sua primeira geração, ele já veio em sua 2ª Geração, conhecido como Corsa B. O carro veio em diversas versões: Corsa Wind 1.0, Corsa Wind Super 1.0, Corsa GL 1.4 e Corsa GSi 1.6 16v.

O GSI até hoje é um carro bem raro de ser encontrado, na época o preço dele era muito caro quando comparado como Corsa Wind, com um GSI dava para comprar tranquilamente 2 Corsas Wind, essa mania de brasileiro comparar os carros simplesmente pela estética ao invés de ter completa noção do que o carro vem de série. Um fato recente é o Civic SI onde até hoje eu vejo em fóruns falando que ele é um Civic equipado com motor 2.0… prefiro nem comentar porque isso renderia outro tópico e estamos aqui para falar do nosso querido Corsa.

O GSI é um esportivo equipado com o motor 1.6 16v com Teto Solar, AC, DH, Bancos e Rodas exclusivas. Infelizmente são poucos os modelos originais que vemos rodando por aí. Não comparem o motor 1.4 do Corsa dos anos 90 com os atuais motores 1.4, o atual é bem mais moderno, potente e econômico, quando comparado com esta versão que não vingou muito no mercado.

Em meados de 1996 ~ 1997 o Corsa teve mais 2 versões o Sedan (que hoje é o Classic) e a Pickup. Embora os houvessem versões 1.6 destes carros o motor 1.6  da época é bem diferente do motor 1.6 dos anos 2000 em diante. Os motores EFI (antigos) possuem somente 1 bico injetor, enquanto os MPFI possuem 4 bicos.

O Corsa teve diversas versões no mercado nacional, Hatch 2 portas, Hatch 4 portas, Station Wagon (Perua), Sedan e Pickup, abraçava todas as fatias do mercado, o Corsa é um excelente carro quando falamos de Custo x Benefício, embora seja comum encontrar no mercado versões sem Ar Condicionado e Direção Hidráulica, um Corsa continua sendo uma excelente compra, seu custo de manutenção é extremamente barato e encontra-se peças de reposição no mercado de forma fácil e rápida.

O Corsa é um carro bom para se equipar também, as rodas por exemplo podem ser herdadas de todos os carros da GM que possuam a furação 4×100 (Vectra, Astra, Meriva e Agile), é comum ver nas ruas Corsas com rodas de Astra e Vectra. A furação é comum também no Renault Megane antigo, dá para encontrar rodas de ferro aro 16″ que podem ser herdadas do Megane.

Particularmente o Corsa nas suas versões peladas nasceu para correr na pista de Interlagos em Track Day, o meu um dia terá a preparação necessária para correr sem ficar muito para trás, a versão pelada dá para equipar freios e rodas maiores e além disso um turbo com kit intercooler para resfriar o cofre do motor.

A instalação do intercooler é complicada para carros com ar condicionado, porque o cofre do corsa fica com pouco espaço livre para instalar este importante componente.

Cronologia

1994 – Inicio de produção nas versões Wind 1.0 e GL 1.4 de 60 cv
1995 – Versão esportiva GSi 1.6 16V de 106 cv e versão picape
1996 – Injeção eletrônica MPFi, GL recebe motor 1.6 de 92 cv
1996 – Lançamento do Corsa Sedan e fim da versão GSi
1997 – Corsa Wagon
1997 – Série Piquet na cor amarela limitada a 1.000 unidades com motor 1.0
1998 – Série Champ – Referência à Copa da França
1999 – Sedan com motor 1.0 16V
1999 – Versão ST da picape
2000 – Faróis transparentes e novas lanternas
2001 – Fim da versão Wagon
2002 – Nova geração, fim da versão hatch antiga e da picape
2003 – Motor 1.8 FlexPower bi-combustível álcool/gasolina
2004 – Linha 2005, Corsa Classic passa a ser identificado apenas como Classic nas versões: Life, Spirit, e Super (agosto)
2004 – Versões da nova Geração passa a ser identificadas como Joy, Maxx, e Premium (agosto)
2005 – Motor 1.0 FlexPower bi-combustível álcool/gasolina e fim do motor 1.0 gasolina (setembro)
2005 – Versão SS (novembro)
2006 – Corsa Classic 1.0 VHC Flex com 72 cv (janeiro)
2006 – Fim do motor 1.6 no Corsa Classic (outubro)
2007 – Motor 1.4 Econo.Flex de 105/99 cv, acelerador eletrônico drive by wire, grade do radiador com barra cromada. Versões de acabamento: Maxx, intermediária, e Premium, topo de linha. A motorização 1.0 disponível com os pacotes Joy, de entrada, e Maxx, e o bloco 1.8 passa a equipar apenas as versões SS (Super Sport), no hatch e Premium, no sedan (junho)
2009 – Classic com motor VHCE com até 78 cv de potência, acelerador eletrônico (janeiro)
2009 – Fim dos motores 1.0 e 1.8 (maio)
2009 – Kit de personalização Energy com saias laterais, spoiler dianteiro e traseiro, aerofólio e adesivos (dezembro)
2010 – Reestilização do sedan Classic com mudanças externas na dianteira e traseira, sendo oferecido apenas na versão 1.0 LS (abril)
2011 – Fim de produção do Corsa Sedan (novembro)

Só para finalizar fiz um vídeo do meu Corsa, a edição não é das melhores, mas em breve terei um novo vídeo do carro.

Obrigado