Copa Fiat começa em alta rotação


Copa Fiat começa em alta rotação

A primeira etapa do campeonato 2012, disputada na cidade de Londrina, Paraná, no domingo (3 de junho), trouxe grandes novidades: novos componentes e motor mais potente para um Linea ainda mais rápido. “Com novos pneus, suspensão especial, freios maiores e motor ainda mais potente, os Lineas T-Jet da Copa Fiat estão mais musculosos e realmente agora são verdadeiros carros de corrida, o que faz muita diferença na pista”, afirma Cesinha Bonilha, piloto de Londrina, que terminou em nono lugar.

Cacá Bueno, que também se considera em casa no circuito de Londrina, foi o grande vencedor da disputa. O piloto bicampeão do Trofeo Linea – antigo nome da categoria de turismo do Racing Festival – saiu na pole, liderou de ponta a ponta e ainda garantiu a melhor volta. André Bragantini e Christian Fittipaldi conquistaram o segundo e terceiro lugares, respectivamente. Christian partiu em sexto. Outro que fez diversas ultrapassagens e teve participação de destaque no circuito de Londrina foi Allam Khodair: o piloto de São Paulo começou a corrida em último lugar e conseguiu terminar em sexto.

Cada etapa da Copa Fiat é composta de duas corridas realizadas no mesmo dia, sendo uma pela manhã e outra à tarde. Em Londrina, os organizadores decidiram transferir a segunda corrida para uma das cinco etapas posteriores da temporada 2012. Assim, entre as cinco jornadas posteriores da Copa Fiat, uma será tripla.

Cerca de 12 mil pessoas compareceram ao Autódromo Ayrton Senna e acompanharam, além da corrida, o sorteio de um Uno Vivace zero quilômetro. O premiado foi o londrinense Valdir Amici Felipe, com o número da sorte 2.740.

O resultado da prova:
  1. Cacá Bueno, 17 voltas em 27min08s025
  2. André Bragantini,
  3. Christian Fittipaldi,
  4. Giuliano Losacco,
  5. Wellington Justino,
  6. Allam Khodair,
  7. Mauri Zaccarelli,
  8. Ulisses Silva,
  9. Cesinha Bonilha,
  10. Édson do Valle,
  11. Clemente Faria Jr., a 3 voltas
  12. Rogério Castro, a 5 voltas
  13. José Vitte, a 7 voltas
  14. Marcos Gomes, a 10 voltas
  15. Leonardo Nienkotter, a 12 voltas
  16. Luir Miranda, a 14 voltas
  17. Fábio Carreira, a 17 voltas
  18. Popó Bueno, a 17 voltas

Fonte: http://www.fiat.com.br

Você já conhece a Fiat no Facebook? http://www.facebook.com/fiatbr atualizado com diversas notícias da marca entre outras ações divertidas de Marketing

 

Experiências – Fiat Linea (Continuação)


Boa tarde

Voltando a avaliação e a experiência em guiar o Fiat Linea, com o novo motor eTorq. Na minha opinião o público alvo do carro são os iniciantes na categoria Sedan Médio, para quem busca um carro grande com boa motorização e não se preocupa com status e mecânica robusta. O Linea entra

Após rodar aproximados 1200km de estrada, o carro demonstrou ser uma boa opção de compra para quem não se preocupa com desvalorização do automóvel. O carro é econômico e potente, tem boa retomada e o câmbio manual de 5 marchas atende as expectativas, com relações longas que permite menos trocas de marchas no trânsito caótico de SP.

O torque do motor é algo que precisa ser comentado, grandes ladeiras são são um problema para o grande e pesado Linea, com 1300kg (peso seco), comparando com os concorrentes o New Civic pesa 1260, Civic 2012 (novo) 1286kg  e o Corolla pesa 1245kg.

O acabamento interno com alguns apliques cromados podem se tornar um problema ao longo do tempo, o carro utilizado para escrever este artigo era um exemplar 2011 com 27mil km, e percebi que alguns detalhes como o cromado ao lado do motorista estava simplesmente se desprendendo do carro. O descascado poderia ser causado por mal uso, porém um carro de quase 60mil ter estes detalhes se depreciando em menos de 1 ano é complicado…

O carro possui muita vida a bordo, além dos detalhes cromados, o volante possui boa pegada e acabamento em couro, na versão LX (entrada) o volante não possui os controles de áudio, porém para compensar essa economia porca, a Fiat deixou o popular computador de bordo (presente em quase todo o lineup da marca) como presente para quem não quer gastar muito com a versão Top.

Falando em computador de bordo… sim sr. este é o sr. computador de bordo, com tantas funções que eu não saberia numerar qual é a mais importante (e legal).

  • Distância percorrida
  • KM Média
  • Velocidade Média
  • Consumo Instantâneo
  • Rádio
  • Controle de Velocidade

Pega todos os itens de distância e velocidade e multiplica por 2x porque possui as medições para Trip A e Trip B.

Os ocupantes do banco de trás do carro também não tem do que reclamar, o espaço para os passageiros é generoso, embora o ar condicionado não seja Dual Zone, o carro oferece amplo espaço interno para que não se tenha reclamações de aperto.

Os concorrentes diretos do Linea são: Ford Focus, Toyota Corolla, Honda Civic e o Chevrolet Cruze (substituto do finado Vectra), todos eles estão em uma faixa de preço bem próxima – todos na faixa entre 60 e 70mil Dilmas, a versão que eu dirigi a LX foi substituída esse ano pela Essence, que possui como diferença o freio ABS e rodas aro 15″ de série.

Os freios na versão LX são fracos, como o carro não possui ABS torna a condição de dirigir o carro em alta velocidade um tanto insegura, em alguns momentos da direção “estiquei” um pouco, porém ao diminuir a velocidade do carro, senti que os freios em ABS para um carro deste porte fazem muita falta.

 

Outro detalhe é a ausência de uma porta USB no rádio e controles do rádio no volante, são pequenos “mimos” que dão mais conforto em guiar o carro, quem tem ou teve um carro com controle de áudio no volante e escuta muita música, sabe da facilidade.

O Linea possui 4,5m de comprimento, praticamente 1 metro a mais do que o Logan, Classic e outros sedans pequenos, este 1 metro para quem não está acostumado poderá dar as famosas encostadas em paredes, outros carros e no pior caso em muretas de concreto, o Linea bem que poderia vir de série com o sensor de estacionamento, é barato e com certeza tornará a manobra do carro mais fácil e com com certeza mais segura.

Um detalhe que eu senti falta ao dirigir o Linea é que eu achei muito estranho um carro deste porte não ter um espaço para guardar uma garrafa d’água, infelizmente até o Chevrolet Prisma tem mais porta-trecos espalhados pelo carro do que o Linea, tem um espaço que eu acabei usando para guardar um chiclete e um espaço menor ainda no console central para guardar o celular, se você possui um smartphone, esqueça, deixe no colo ou no bolso.

São pequenos detalhes que tiram um pouco da vida a bordo do Linea, acabam fazendo com que ele fique com a fama de um Punto Sedan e isso provavelmente não é bom para a marca, mesmo porque ele possui outro nome, outra estratégia de marca e outra pegada no volante. Porque a motorização 1.4 e 1.8 (finados) do Punto nunca equipou o Linea que foi (1.9 – finado e 1.4 turbo).

É o famoso carro de tiozão, que só se preocupa em ter ar-condicionado, direção hidráulica (não é elétrica) e o que vier é lucro.

Tem algo que eu não entendi na Fiat, as versões de entrada e top de linha são equipadas com o mesmo motor E.torQ, porém a potência muda,  a versão LX tem  127 cv e 132 cv nas versões HLX e Absolute, – em 2012 a Essence uniu o LX e o HLX –  será que eu se eu levasse o LX na oficina eu poderia liberar a cavalaria represada?

Preços divulgados:

Linea Essence 1.8 16V Flex – R$ 56.700,00
Linea Essence 1.8 16V Flex Dualogic – R$ 59.700,00
Linea Absolute 1.8 16V Flex Dualogic – R$ 67.570,00
Linea T-Jet Turbo 1.4 16v – R$ 71.860,00

 

O tanque de combustível segundo a montadora é de 60l, sinceramente não sei onde está os outros 10, abasteci o carro próximo do reserva e marcou cravados 51l provavelmente uns 55l ou o medidor de combustível do painel não estava marcando corretamente.

Qual é a sua opinião sobre o carro?

Obrigado