Tendências: Downsizing


Boa noite

Outro dia conversando com o meu pai sobre motores, ficou cada vez mais evidente no mercado nacional o desaparecimento quase total de carros equipados com motores 2.0, nos anos 90, este tipo de motorização era muito comum.

Até mesmo carros equipados com motores 1.8 foram substituídos por 1.6 e os carros 1.6 por 1.4. Estas mudanças vão de encontra a grande tendência do mercado mundial – o Downsizing… técnica que basicamente extraí mais potência de carros de menor cilindrada, hoje em dia carros equipados com motor 1.4, são muito mais potentes que os antigos 1.6, o chevrolet corsa 1.6 mpfi possui 92cv e o corsa 1.4 possui 104cv….

A tendência dos motores downsizing (de dimensões reduzidas) surgiu comercialmente há cerca de dois anos, embora os seus projetos sejam anteriores a isso. Sua introdução em massa nos veículos coincidiu com a disparada dos preços do petróleo, gerada pela crise financeira internacional. Eles trazem consigo o que há de mais atual em tecnologia, como turbocompressores, injeção direta de combustível (dentro da câmara de combustão), sistema start-stop (que desliga  automaticamente o motor quando o carro para e o liga quando o motorista pisa no acelerador), comandos de válvulas variáveis e outros recursos, como transmissões mais eficientes, conforme o modelo. As vantagens dos motores downsizing  são o menor custo de produção (e consequentemente um preço final mais acessível para o consumidor), elevada potência, melhor eficiência térmica e melhor rendimento, com baixo consumo de combustível e reduzido nível de emissões.

No Brasil, um dos primeiros motores a seguir a idéia do downsizing foi o do Gol e Parati 1.0 turbo, no início da década passada com a sobrealimentação por turbocompressor, o Gol acelera de 0 a 100 km/h em 9.5s e a Parati em 9.8s, chegando às velocidades máximas de 192 km/h e 191 km/h, respectivamente. O desempenho é de motor grande, graças à potência de 112 cv a 5.500 rpm (semelhante a um motor 2.0 aspirado) e torque de 155 Nm a partir de 2.000 giros. Graças à baixa cilindrada o consumo de combustível, semelhante a um carro 1.0 – o Gol Turbo faz 11,5 km/l na cidade, a Parati Turbo, 11,3 km/l e, na estrada, ambos fazem 16,5 km/l.

Atualmente um bom exemplo fica por conta do 1.6 turbo de 156 cavalos, desenvolvido pela BMW e Peugeot, hoje presente no crossover 3008. Apesar da baixa cilindrada, o propulsor rende tão bem quanto um 2.0 de 16 válvulas moderno. Seguindo a mesma linha, em 2009, a Fiat apresentou na Europa o motor Multi-Air, que começou a ser fabricado em escala naquele continente no ano passado.

O MultiAir da Fiat tem  comando variável de válvulas, acionado por sistema eletro-hidráulico, que controla independentemente, em cada cilindro, o momento e tempo de abertura da entrada de ar, por meio de uma central eletrônica. O equipamento está presente nos Alfa Romeo MiTo e Giulietta e também no Fiat Bravo na Europa. Esse  sistema, associado ao dispositivo start-stop, é capaz de proporcionar um ganho de 10% na potência e 15% no torque, além de reduzir em 10% o consumo de combustível, em motores aspirado e turbo, de acordo com a Fiat.

No ano passado, a Fiat mostrou um motor de 900 cm³ de dois cilindros e 84 cv de potência, desenvolvido com tecnologia similar, batizado de TwinAir. Especula-se que a montadora já estaria adaptando esse sistema aos motores da família E.torQ para adotar em seus modelos fabricados no Brasil.

Recentemente, a Ford anunciou o desenvolvimento do motor Ecobooster, que deverá equipar seus futuros modelos globais. Mesmo a Mercedes-Benz, tradicional fabricante de carros de luxo, que utiliza compressores volumétricos mecânicos (tipo rosca sem-fim) e enormes motores V6 e V8, acabou se rendendo em parte ao downsizing.

No fim de 2010 e início deste ano, a marca alemã apresentou aqui o Classe C com o pequeno motor CGI 1.8 turbo, que rende 204 cv. Segundo um engenheiro da marca, a montadora aderiu a esse tipo de propulsor, movido com turbina acionada por gases do escapamento em vez compressor mecânico, como alternativa para atender os atuais índices de emissões de poluentes estabelecidos pelas rigorosas normas européias. Enquanto isso, a rival BMW lança a nova geração do Série 1 com motores 1.6 turbo, a gasolina, que rendem entre 136 e 250 cavalos. No mercado europeu também estará disponível o 2.0 turbodiesel, que pode chegar a 184 cv.

O câmbio será manual de seis marchas ou automático de oito. Todas as versões terão sistema stop-start e freios regenerativos. Espera-se que a opção mais econômica  será capaz de fazer até 23 km/l. Em junho, a Ford apresentou oficialmente seu novo motor 1.0 turbo EcoBoost, de apenas três cilindros,  com injeção direta de combustível e duplo comando de válvulas independente e variável (Ti-VCT), o menor propulsor já produzido pela fabricante americana, mais eficiente e menos poluente que os convencionais. Com alto nível de rendimento térmico e baixo atrito entre as partes móveis internas, dimensões compactas e peso reduzido, esse motorzinho funciona em faixa de rotação mais ampla e é equiparável a um motor 1.6 a gasolina, com aspiração natural.

Obrigado

Tudo Sobre: Hyundai Veloster


Tudo Sobre Hyundai Veloster

Recentemente tenho recebido diversas mensagens e solicitações para que sejam enviadas mais informações sobre o novo lançamento da Hyundai… o Elantra passou despercebido, porque até agora pouco se sabe sobre o carro.
O Veloster por sua vez é a grande sensação do momento…. motor 1.6 potente, injeção direta, painel LCD, Sistema Blue Link… escrevi alguns artigos sobre cada um dos componentes e espero que este seja o mais detalhado sobre todos os recursos do carro.
A Hyundai introduziu sua tecnologia de ponta no Hyundai Veloster, o cupê de três portas teve sua primeira aparição no North American International Auto Show 2011.
O Veloster 2012 oferece inovações para o segmento de cupê compacto, com uma porta única do lado esquerdo, os passageiros entram pelo carro somente pelo lado direito, oferecendo mais segurança no embarque e desembarque, por estarem ao lado da calçada, Blue Link é um sistema de gerenciamento do automóvel, que integra as funções da injeção eletrônica, rádio e telefonia, este sistema conta com um display de sete polegadas touch-screen.
O motor é totalmente novo (1,6-litros) de injeção direta, quatro cilindros e dupla embreagem (sistema similar ao que os carros da marca Audi possui atualmente). O desempenho do motor é excelente, o conceito de downsizing foi aplicado fortemente neste modelo, porque ele consegue excelentes medições com baixa cilindrada alinhada a redução de poluentes emitidos pelo motor.

Inspira esportividade

Design exclusivo Hyundai Veloster parece que foi inspirada em motos de alto desempenho. A traseira possui uma área envidraçada como o finado C4 VTR. Na frente é um carro agressivo só pelas linhas do carro é possível esperar que debaixo do capô teremos (assim como no Civic SI) um verdadeiro esportivo quatro cilindros.
O carro possui alguns mimos… Grade cromada, iluminação interna por Leds, acabamento cromado dos faróis de milha, faróis de neblina, um blackout para unir o teto (solar) com a lateral do carro, dando a impressão de ser totalmente panorâmico.
Hyundai Veloster vem de fábrica com rodas de liga leve de 17 polegadas e oferece dois tipos de rodas de 18 polegadas. A versão top de linha vem equipada com rodas de 18 polegadas com um destaque para as pinças de freio.

2012 Hyundai Veloster


No interior, o console central do veículo possui um design bem harmonioso, sem exageros, a central multimídia – a mais completa que eu já vi – exibe informações em tempo real do comportamento do carro e de quebra um GPS com os mapas do Brasil, pode parecer besteira mas as primeiras versões do Ford Fusion que desembarcaram do México aqui, só tinham os mapas dos Estados Unidos cadastrados….
Os Pedais são de liga leve, o volante e a manopla de câmbio possuem acabamento em couro.

A terceira porta
Hyundai Veloster combina o estilo de um coupé e a funcionalidade de um hatchback ao mesmo tempo, incorporando uma porta adicional do lado do passageiro – ou seria uma porta a menos do lado do motorista ? -.
A maçaneta da porta traseira do carro está localizada na mesma posição dos carros da Peugeot, acima e na mesma cor do Blackout da porta, sendo assim a primeira impressão que se tem quando olha o carro na rua é que ele é um Hatch de 2 portas.

Motor GAMMA 1.6 litros GDI

O novo motor, batizado de Gamma 1,6-litro de quatro cilindros (138cv) é o menor motor da Hyundai equipado com o sistema de Injeção Direta (GDI). GDI tecnologia que ajuda a proporcionar economia de combustível estimada estrada de até 40 mpg, emissões mais baixas e maior confiabilidade.

Curiosidade: 40 MPG é uma medida americana que representa 40 Milhas por Galão que é o equivalente a 17 Quilômetros por Litro. Nos Estados Unidos existe um ranking para definir os carros mais econômicos e são eles:
1. Toyota Prius
2. Honda CIvic Hybrid
3. Ford Fiesta ECOnetic
4. Mercedes-Benz C 250 CDI
5. Smart fortwo

A tecnologia de injeção direta permitiu aos engenheiros da Hyundai criarem um motor poderoso de baixo consumo de combustíveis e baixos níveis de poluentes.
Apenas para reforçar o que é a injeção direta…. Nos motores a gasolina de injeção direta, a mistura Ar/Combustível se forma diretamente na câmara de combustão. Durante o tempo de admissão, somente o ar de combustão é puxado através da válvula de admissão aberta, com o combustível sendo injetado a alta pressão na câmara de combustão através de injetores especiais. A medição precisa, a preparação e distribuição do ar admitido e do combustível injetado em cada tempo de combustão resulta em menor consumo de combustível e baixos níveis de emissão de poluentes.
Através do uso de GDI (Gasoline Direct Injection), a Gamma 1,6-litro motor gera uma potência de pico estimado de 138 cv a 6.300 rpm e torque máximo de 123 kgfm em 4850 rpm.

Mas GDI é apenas uma parte da história como a Gamma nova também apresenta Cronometragem de Válvula Dupla continuamente variável, um controle eletrônico de aceleração, uma cadeia de cronometragem rolo, indução variável e inovador anti-fricção revestimentos, tais como CrN Vapor Deposition revestimento física (PVD) e Diamante como revestimento de carbono (DLC).

Sistema de dupla embreagem

Talvez a vantagem mais cativante de uma DCT (sistema de dupla embreagem) seja a redução do consumo de combustível. Devido ao fluxo de força do motor para o câmbio não ser interrompida, o consumo cai drasticamente. Alguns especialistas dizem que uma DCT de seis marchas pode render uma diminuição de até 10% no consumo de combustível quando comparada a uma cinco-marchas automática.

Este motor também tem um modo Eco nativo que modifica a potência do motor e controle da transmissão para a economia de combustível que se traduz em mais de uma 7% de economia de combustível.

Divertido de conduzir

O Veloster Hyundai é equipado com uma suspensão dianteira McPherson, molas helicoidais, amortecedores a gás e um estabilizador de 24 mm de diâmetro. A suspensão traseira é um peso-leve feixe em V-torção, o carro vem equipado com uma barra estabilizadora de 23 mm permitindo maior estabilidade em alta velocidade em curvas. A suspensão traseira também usa amortecedores monotubo para conforto de condução.
A direção elétrica do carro torna ele macio de conduzir na cidade e a mesma fica mais rígida de acordo com a velocidade do carro, quanto maior a velocidade mais firme será a direção.

Obrigado

Festival das multas


Boa noite

Pensou em colocar o adesivo do clube que tanto gosta? Equipar o carro com um sistema de som forte o suficiente para disparar alarmes, adepto do Tuning? tem um carro “Lacrado no G5”? leia o post abaixo para entender um pouco mais das penalidades aplicadas para cada tipo de ocorrência.

Intensidade do Som

ART. 228. – Usar no veículo equipamento com som em volume ou freqüência que não sejam autorizados pelo CONTRAN ;
Se refere aos veículos de publicidade , divulgação , propaganda política, etc. o Artigo regulamenta o nível em decibéis gerado por um veículo de som para fora . Não há nenhum restrição para o sistema pesado de som de dentro do veículo .

Infração : Grave;
Penalidade : Multa;
Medida administrativa: retenção do veículo para regularização

Adesivos nos vidros

ART. 230. XV – Com inscrições , adesivos , legenda e símbolos de caráter publicitário afixado ou pintado no pára-brisa e em toda extensão da parte traseira do veículo, excetuadas as hipóteses prevista neste Código ;

Este artigo diz que o veículo pode ser adesivado, mas o vidro só deve ser coberto em até 20% do espaço. Valem pinturas e adesivos em qualquer ponto da lataria , desde que não impeçam a identificação do automóvel como registrado em seu documento. Um Gol preto, por exemplo, deve ser identificado facilmente como um “Gol preto”.

Infração: Grave;
Penalidade: Multa;
Medida administrativa: retenção do veículo para regularização

Modificação do Veículo

Art. 110. – O veículo que tiver alteradas qualquer de suas características para competição ou finalidade análoga só poderá circular nas vias públicas com licença especial da autoridade de trânsito, em itinerário e horário fixados.
Não é permitida a circulação de carros com estrutura modificada ( motor preparado , rebaixados, sem a devida regularização da documentação).

Exibição

Art. 175. – Utilizar-se de veículo para, em via públicas , demonstrar ou exibir manobra perigosa, arrancada brusca, derrapagem ou frenagem com deslizamento ou arrastamento de pneus ;

Pegas(racha ), “cavalo de pau ” e só o fato de “queimar” pneu na arrancada o condutor pode ser enquadrado nesse artigo.

Infração : Gravíssima;
Penalidade: Multa, suspensão do direito de dirigir apreensão do veiculo;
Medida administrativa: recolhimento do documento de habilitação e remoção do veículo.

Alarme

Art. 229. – Usar indevidamente no veículo, aparelho de alarme ou que produza sons e ruído que pertube o sossego público, em desacordo com normas fixadas pelo CONTRAN ;

Os Alarmes vendidos nas lojas não terão seu funcionamento modificado. A Idéia não é multar o dono do carro pelo fato de seu alarme ter disparado na rua . A intenção do CONTRAN é impedir eventuais excessos. Exemplo: alguém ligar vários alto-falantes ou sirenes ao sistema de segurança e provocar um ruído elevadíssimo quando o alarme disparar.

Infração : Média;
Penalidade : Multa e apreensão do veículo;
Medida administrativa :remoção do veículo.

Pisca aceso é Proibido!

Art. 230. XIII. – Proibido conduzir o veículo com o equipamento do sistema de iluminação e de sinalização alterados.
Proibida por lei mesmo que esteja andando com o veiculo com os faróis de milha acessos mas dificilmente essa lei é cumprida nas barreiras policias (CET).

Infração : Grave;
Penalidade : Multa;
Medida administrativa : retenção do veículo para regularização.

Placa do veículo

Art. 230 – Conduzir o veículo :
IV – sem qualquer uma das placas de identificação;
VI – com qualquer um das placas de identificação sem condições de legibilidade e visibilidade ;
Esse artigo enquadra os veículos que andam sem a placa dianteira , placas dobradas(traseira) ou escondidas (traseira) por engate, tudo isso para evitar os radares.

Infração: Gravíssima;
Penalidade: Multa e apreensão do veículo;
Medida administrativa: remoção do veículo.

Extintor de incêndio

A resolução 560/80 do CONTRAN apenas obriga que os automóveis tenham um extintor com carga de pó químico ou gás carbônico de 1kg e que esteja certificado pelo Inmetro, um rótulo gravado no extintor original ou o selo verde e amarelo para o extinto recondicionado.

Hoje em dia nos postos de combustíveis , “técnicos de inspeção” enganam muitos proprietários de veículos dizendo que seu extintor de incêndio está vencido e que o mesmo está sem o selo verde e amarelo do Inmetro . Aí que está! Ninguém pode ser multado por não ter o selo verde amarelo. Se alguém multá-lo por isso é possível recorrer ao DETRAN. Extintores originais possuem apenas um carimbo do Inmetro, selo verde amarelo somente nos extintores recondicionados.

Extintor Original : válido por 5 anos tem apenas uma marca gravada .
Recondicionado : válido por 1 ano (nem sempre de boa qualidade ) e com o selo verde amarelo.

Licenciamento/Registro

Art. 230 .V – Conduzir o veículo que não esteja registrado e devidamente licenciado.

Muitas pessoas andam com os carros pelas ruas sem seus devidos documentos de licenciamento. O CRV “É obrigatório, para veículos que tiveram suas características modificadas.”

Infração: Gravíssima
Penalidade: Multa e apreensão do veículo
Buzinas

ART. 227 :
III. Usar buzinas entre as vinte e duas e as seis horas
IV. Usar buzinas em locais e horários proibidos pela sinalização.

V. Usar buzina em desacordo com os padrões e frequências estabelecidas pelo CONTRAN.

Infração: Leve
Penalidade: Multa

Anti – Radar


Art. 230. Conduzir o veículo : III – com dispositivo anti-radar
A Polícia Rodoviária Federal está intensificando a fiscalização, visando conter a utilização do equipamento. O equipamento Anti-radar tem sido comercializado ilegalmente em algumas lojas Brasileiras e também pela Internet. O vendedor esta sujeito as sanções do Código Penal Brasileiro.

Infração: gravíssima.
Penalidade: multa e apreensão do veículo.
Medida administrativa: remoção do veículo e recolhimento do CRLV

Dirigir Descalço


Art. 252. é proibido dirigir usando calçados que não se firme nos pés ou que comprometa a utilização dos pedais.

Seguindo essa leis não há restrição a dirigir descalço. Portanto dirigir descalço é permitido e chinelos, sapatos de salto, sandalhas e qualquer outro calçado que não seja preso por trás.
Infração : grave
Penalidade : multa

Películas (Filmes)
Agora liberado por leis que restringe o uso de película de 50% de transparência nos vidros traseiro, 70% nos dianteiros e 75 % no pára-brisa mediante o uso do selo mostrando o grau de transparência e o registro de quem instalou.
Em uma fiscalização da CET é verificado se os vidros estão com os selos, caso não tenha o selo da loja que foi aplicado o filme (conhecido como: insul film) o veículo ficará retido até sua regularização. Mas a pessoa pode ter a sorte de receber uma bronca, uma multa e ter que retirar todo o adesivo na hora, na frente do fiscal.

A maior parte das pessoas usam o termo: Insul Film, mas está errado, o certo seria usar termos como: película ou film, uma vez que insul film é uma marca de film (película).

Para aqueles que vão colocar a película, fiquem sabendo que existe a película anti risco que aumenta em muito a vida útil e a aparência estética do mesmo, costuma ser R$20 mais caro que a película normal. Preço médio: R$80, R$100 e R$120 para carros pequenos, médios e grandes respectivamente.
Lembre-se: Você pode até querer enganar os policiais colocando película mais escura, mas não, você estará aumentando em muito, o risco de haver uma colisão traseira em seu veículo, pois a noite o veículo que está atrás do seu, não enxergará direito o veículo que está a sua frente, devido aos vidros escuros.

Blitz e agora?


Boa noite,

Para todos aqueles que andam fora da lei, com documentos vencidos ou até mesmo andando em péssimas condições de uso, veja o que pode acontecer com você (e o seu carro) quando parado em uma blitz policial. Vou listar abaixo as principais infrações que são aplicadas quando parado em uma blitz policial.

 

– Conduzir veículo sem qualquer uma das placas de identificação (Artigo 230 do Código de Trânsito Brasileiro)- Trata-se de uma infração gravíssima (7 pontos na carteira). A multa é de R$ 191, 54, e o veículo é removido.

– Conduzir moto sem capacete ou transportando passageiro sem capacete (Artigo 244 do CTB) – Trata-se de uma infração gravíssima (7 pontos na carteira). A multa é de R$ 191, 54, o motorista pode ter o direito de dirigir suspenso por um período de um mês a um ano. Além disso, o documento de habilitação é recolhido. Como o motorista não pode conduzir a moto sem carteira, o motociclista precisa apresentar alguém habilitado. Caso contrário, a moto será removida.

– Dirigir veículo com CNH vencida há mais de 30 dias (Artigo 162) – Trata-se de uma infração gravíssima (7 pontos na carteira). A multa é de R$191,54 e, se flagrado em ação de fiscalização de trânsito, o documento vencido será recolhido e o veículo retido até apresentação de condutor habilitado. Se o motorista não apresentar um motorista habilitado, o veículo será removido.

– Dirigir veículo sem possuir CNH ou Permissão para Dirigir (Artigo 162) – A infração é gravíssima (7 pontos na carteira). Neste caso, o motorista paga multa de três vezes o valor da infração (R$ 191,54 X 3= R$ 574,62) e tem o veículo apreendido.

– Licenciamento vencido (Artigo 230) – Circular com veículo não licenciado é infração gravíssima (7 pontos na carteira). Se flagrado em ação de fiscalização de trânsito, além de ter o veículo apreendido, o motorista acumula sete pontos na carteira de habilitação e paga multa de R$191,54.

– Dirigir sem documento de porte obrigatório (Artigo 232) – Trata-se de uma infração leve (3 pontos na carteira e multa de R$ 53,20). O veículo deve ser retido até a apresentação do documento. Se o motorista não apresentar o comprovante, o veículo é levado para o depósito. Antigamente, o comprovante de pagamento de IPVA era documento de porte obrigatório, hoje não é mais. Portanto, atualmente, o veículo não pode ser removido por falta de apresentação do comprovante de pagamento do imposto.

Obrigado