Fluído de Freio


Boa noite

Vou criar um post sobre Fluídos de Freio, porque hoje eu fui em um posto de gasolina abastecer e vi diversos potes com diversos tipos de fluídos, uma rápida leitura no tópico abaixo irá esclarecer um pouco sobre o assunto.

O Ministério dos Transportes (Department of Transportation) dos Estados Unidos estabeleceu as especificações para fluidos de freios. Os três principais tipos disponíveis agora são DOT3, DOT4 e DOT5. DOT3 e DOT4 são à base de glicol e DOT5 à base de silicone. A principal diferença é que o DOT3 e o DOT4 absorvem água, enquanto o DOT5 não.

Uma característica importante dos fluidos de freio é o ponto de ebulição. Sistemas hidráulicos contam com um fluido incompressível para transmitir força. Os líquidos geralmente são incompressíveis enquanto os gases são compressíveis. Se o fluido de freio entrar em ebulição (se transformar em gás), perderá grande parte de sua capacidade de transmissão de força. Isso pode tornar os freios parcial ou totalmente inoperantes. Para piorar a situação, a única vez que provavelmente o seu fluido de freio ferveria seria durante uma aplicação prolongada dos freios, como descendo uma serra – e este certamente não é o melhor momento para uma falha nos freios!

Como os fluidos de freio DOT3 ou DOT4 absorvem água, seu ponto de ebulição diminui. Ele pode absorver água do ar, razão pela qual você deve evitar abrir o reservatório de fluido de freio de seu carro. Por essa mesma razão, os reservatórios de fluido de freio devem estar sempre muito bem fechados. Como a água absorvida provém da umidade do ar, o processo é contínuo, motivo para que o fluido de freio seja substituído a cada dois anos, independentemente da quilometragem percorrida.

O fluido DOT5 não absorve água. Isto significa que o ponto de ebulição permanecerá relativamente estável, mas isso também significa que qualquer água que entrar em seu sistema de freio tenderá a formar bolsões de água pura, o que poderia causar corrosão dos freios e, num caso extremo, falhas de acionamento dos freios devido à fervura dessa água.

Outras duas coisas importantes sobre o fluido de freio: o DOT3 e o DOT4 corroem a pintura, portanto, não deixe respingar no carro. Além disso, nenhum dos diferentes tipos de fluidos de freio podem ser misturados, pois podem não reagir muito bem e corroer seu sistema de freios.

O Inmetro realiza diversas avaliações sobre os Fluídos de Freio do mercado nacional, basicamente são realizados 10 testes, sendo eles:

  • Teor de água: verifica a quantidade de água presente no produto. A maior ou menor quantidade tem influência direta sobre outras características do fluido, particularmente, sobre o ponto de ebulição podendo provocar sua redução.
  • Resistência à oxidação: este ensaio simula a resistência do fluido à ação do oxigênio do ar ao longo do seu uso. Esta ação pode provocar a oxidação do fluido tornando-o agressivo aos componentes metálicos, provocando alterações nestes, ou ainda a deterioração prematura dos componentes de borracha.
  • pH: determina se o produto tem características ácidas, básicas ou neutras. pH muito alto ou muito baixo pode provocar desgastes nos componentes do sistema de freio.
  • Corrosão: verifica se o fluido provoca corrosão (ferrugem) nas partes metálicas.
  • Viscosidade cinemática: verifica a fluidez do produto no sistema hidráulico, quando submetido a condições extremas de temperatura. Os resultados permitem uma avaliação do funcionamento dos freios em condições normais e adversas.
  • Fluidez e aparência à baixa temperatura: determina a viscosidade do produto a baixas temperaturas.
  • Perda por evaporação: analisa o comportamento da fluidez do produto durante o seu tempo de uso, como conseqüência das perdas por evaporação. Menores perdas indicam um maior tempo de vida útil do fluido.
  • Ponto de ebulição: verifica a formação de bolhas no sistema hidráulico, que poderiam provocar falhas no freio.
  • Estabilidade a alta temperatura: verifica se o fluido mantém inalterado seu ponto de ebulição, quando submetido a sucessivos aquecimentos e resfriamentos.
  • Efeito sobre a borracha: avalia o tempo de vida das gaxetas (material utilizado para a vedação das juntas) através das alterações provocadas pelo fuido.

Informações Complementares Importantes:

1°: Nunca miture fluidos DOT-3, 4 e 5.1 com fluidos DOT-5, pois além a incompatibilidade entre glicol e silicone, descrita no texto acima, também, em teoria e pelo que pesquisei na Internet, os fluidos DOT-5 são mais espessos e não são compatíveis com os sistemas de freios projetados para os fluidos a base de glicol (mangueiras, cilindros, servo, etc), podendo ocorrer vazamentos e entupimentos que provocarão a ineficácia do sistema.

2°: Referente aos fluidos DOT-5.1, além da vantagem de terem um ponto de ebulição mais elevado, eles também possuem menor viscosidade, praticamente a metade da viscosidade se comparados aos fluidos DOT-3 e 4, o que representa melhor fluidez ao líquido por todo o sistema.

4 thoughts on “Fluído de Freio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.