Conta de Padaria


Boa noite,

Viajei neste final de semana, enfrentei um pouco mais de 1200km para ver o meu amor, durante a viagem o DVD me fez excelente companhia, algumas surpresas desagradáveis como: Não aceita arquivos AVI ou DIVX no formato HD (720p), esqueci de copiar as músicas do Metallica e a TV Digital não pega a 2km fora da capital…

Fora isso o Sem Parar funcionou numa boa, o carro não deu problema (senti que o motor de arranque precisa ser trocado), mas isso eu deixarei para a sessão de Experiências, espero que eu troque antes dele me deixar na mão, mas enfim…. coisas da vida.

Estava comentando com a sogra e manutenção de carro é algo que realmente consome alguns “dinheiros”, manutenção é um mal necessário, pense comigo, se você não gasta 100 reais para trocar o óleo (e filtro) do carro, uma hora o seu motor vai abrir o bico e quando isso acontecer pelo menos uns 2.500 irão embora, então eu acho mais saudável para o bolso gastar cerca de 200 por ano com óleo do que 2.500 em uma paulada só, sem contar que a retífica ou substituição parcial do motor nunca deixará o carro do mesmo jeito, normalmente o carro fica mais ágil, mas isso tem o seu preço, freio, pneu entre outros componentes também terão o seu desgaste mais ágil….

Vamos calcular….

A facilidade em obter financiamento garantiu a venda recorde de 2,342 milhões de carros e utilitários no ano passado. Prazos mais longos – e, conseqüentemente, parcelas mais baixas – fizeram com que mais pessoas tivessem acesso ao crédito. Contudo, é preciso lembrar que, além do gasto com a parcela do empréstimo, é necessário colocar no orçamento despesas de manutenção, que em um modelo popular chegam a R$ 700 por mês.

A estimativa leva em consideração gastos com combustível, tributos, estacionamentos, entre outros, de um auto com preço médio de R$ 25 mil.

Combustível

Dirigir um auto remete, automaticamente, à necessidade de abastecê-lo. Tendo em vista que praticamente 90% dos modelos produzidos no Brasil, segundo a Anfavea (Associação Nacional das Fabricantes de Veículos Automotores), são do tipo flex, o combustível utilizado para o exemplo é o álcool – exatamente por ser mais vantajoso em relação à gasolina na maioria dos estados brasileiros.

De acordo com a ANP (Agência Nacional de Petróleo), o preço médio do litro, na média nacional, estava em R$ 1,584 na primeira quinzena de janeiro. Levando em consideração que um motor consome um litro a cada sete quilômetros rodados, mil quilômetros por mês representam um gasto de quase R$ 230.

Seguro, impostos e outras despesas

Além disso, é necessário pensar na contratação do seguro, estimado em 3% do valor do carro, e no pagamento do IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores), de 4%. Com estacionamento, foi estipulada uma despesa de R$ 150, outros R$ 50 para lavagem e mais R$ 100, para o caso de uma eventual manutenção.

Por fim, o licenciamento e o seguro obrigatório, o Dpvat, não devem ser desconsiderados: representam, juntos, um gasto anual de R$ 135 para o estado de São Paulo, o que, diluído ao longo do ano, representa R$ 11,25 ao mês.

Desembolso total

Todas essas despesas representam quase R$ 700 por mês, ou mais de R$ 8 mil por ano. A tabela abaixo resume os gastos:

Item                                                  No ano                   No mês

Seguro                                             R$ 750                  R$ 62,50

IPVA                                                 R$ 1 mil                 R$ 83,40

Álcool                                              R$ 2.760                R$ 230

Estacionamento                           R$ 1,8 mil              R$ 150

Lavagem                                        R$ 600                   R$ 50

Dpvat e licenciamento                R$ 135                    R$ 11,25

Manutenção                                  R$ 1,2 mil              R$ 100

Total                                               R$ 8.245                 R$ 687

Apenas a parcela

Pesquisa da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças) mostrou que, entre outubro e dezembro do ano passado, a média de prazo utilizado para o financiamento de um carro foi de 42 meses.

Supondo que o modelo seja um popular, com preço em torno de R$ 25 mil, e considerando um juro médio mensal de 2%, a parcela representará quase R$ 890. Pelo período de 99 meses, como chega a ser oferecido pelo mercado, o pagamento mensal fica em cerca de R$ 580.

Obrigado

Manutenção Semanal


Boa noite

Constantemente eu recebo mensagens de pessoas que procuram soluções mais baratas e práticas de revisar o seu automóvel, cada carro requer um cuidado especial, mesmo porque essa questão depende muito do estado físico do carro, porém irei reforçar alguns pontos, que devem ser revisados a cada semana.

Esta tópico foi criado especialmente para as pessoas que só abastecem o carro e esperam ele quebrar para arrumar.

LAVADORES DOS VIDROS
Nada pior do que descobrir que se está sem água nos limpadores dos vidros quando se mais precisa dela. Por isso, crie o hábito de conferir semanalmente se é preciso completar a água dos limpadores.
Acrescente também um pouco de detergente específico. Não use detergente doméstico, pois esses produtos contém soda cáustica em sua formulação, o que pode ocasionar manchas na pintura, além de formação de borra no reservatório, entupindo os lavadores.

LÍQUIDO DE ARREFECIMENTO
Observe o vaso de expansão (consulte o manual do proprietário para saber sua localização). Se estiver abaixo do nível mínimo, adicione água com o líquido de arrefecimento na proporção recomendada pelo fabricante.
O ideal é que a verificação seja feita com o motor frio, mas, se não for possível, tome cuidado na hora de abrir o reservatório. O sistema é pressurizado, e a água quente pode espirrar se você o abrir de repente. Se for necessário completar o nível com muita freqüência, verifique se há vazamento no sistema.

ÓLEO DO MOTOR
Verifique o nível do óleo do cárter uma vez por semana, com o veículo sobre uma superfície plana e, de preferência, com o motor frio. Se não for possível, aguarde cerca de cinco minutos antes de checar.
Confira no manual a localização da vareta, limpe-a e volte a colocá-la no lugar. Tire novamente e cheque o nível, que deve estar entre as marcas de mínimo e máximo.
Se o nível estiver baixo, complete, utilizando um produto com a especificação recomandade pelo fabricante do veículo. Se houver óleo acima do nível máximo, será necessário retirar o excesso por meio do bujão do cárter — na parte inferior do motor — ou com uma máquina de troca de óleo por sucção.
Atenção: limpe a vareta com um pano que não solte fiapos, para evitar que estes penetrem no motor.

PRESSÃO DOS PNEUS
Deve ser verificada semanalmente, ou antes de viajar, seguindo a indicação do manual do proprietário. Lembre-se de que os pneus devem estar frios, ou seja, não devem ter rodado mais do que 3 quilômetros. Acima dessa distância, o atrito dos pneus com o solo aquece o ar interno, que se expande e distorce a calibragem. Não se esqueça de checar também a pressão do estepe.

Garcia & Rodrigues


Boa noite,

Nada melhor do que apreciar um bom copo de café no período da tarde ou logo após o almoço, eu conheço diversos lugares na cidade de São Paulo para apreciar um bom café. Eu havia comentado somente sobre 1 lugar sobre toda São Paulo, vamos ver se eu consigo criar alguns tópicos semanais.

Na R. das Olimpíadas na região da Vila Olimpía, conheci o Garcia & Rodrigues, por ter simplesmente passado na frente e ter uma fachada muito convidativa, eu normalmente acostumado a pedir o café e escolher uma mesa para tomar, fui surpreendido quando o caixa, pediu para eu me acomodar antes de fazer o pedido.

A casa segura 5 prêmios nacionais:

Apenas lembrando os itens avaliados:

  1. Café
  2. Ambiente
  3. Atendimento
  4. Localização
  5. Divulgação
  6. Outros Serviços
Pontuação:
0 – Péssimo
1 – Ruim
2 – Bom
3 – Excelente
Café
Extremamente saboroso, bem tirado, acompanhado de água com gás e um pequeno doce.
Nota: 02
Ambiente:
Lugar muito limpo e organizado, bem iluminado e temperatura agradável. Separado em 2 ambientes: Café e Restaurante, o G&R possui bom espaço interno e oferece boas acomodações para os clientes.
Nota: 03
Atendimento:
O atendimento foi normal, nenhuma novidade, apenas a forma de trabalho da casa, porém o Frans Café trabalha da mesma forma.
Nota: 02
Localização:
Fácil acesso, localizado dentro do Shopping Vila Olímpia, aproveita-se o estacionamento do próprio shopping ou um gigante estacionamento (mais barato inclusive) que fica bem em frente.
Rua das Olímpiadas, 360 (Loja 123/124) – Vila Olímpia/SP
Nota: 03
Divulgação:
Provavelmente ninguém ouviu falar deste lugar, porque trata-se de uma franquia carioca que a pouco tempo veio para SP. Possui um site bem completo  que conta com o cardápio: http://www.garciaerodrigues.com.br/saopaulo.php
O site porém não conta no link de SP os telefones da unidade de SP, somente os do Rio de Janeiro.
Nota: 02
Outros Serviços:
Café da Manhã, Almoço e Jantar, bem completo com horário de atendimento amplo.
Nota: 02
Considerações:
Prepare o bolso e não aceita TR Eletrônico (Visa Vale aceita normalmente).
Um excelente lugar para tomar um café da manhã com a patroa ou um almoço em uma ocasião especial.

TECNOLOGIA::: Suspensão


Boa noite,

Estou inaugurando hoje uma nova categoria… Tecnologia Automotiva, espero receber alguns comentários dos leitores para continuar contribuindo neste site.

Suspensão ativa eletromagnética torna carro 60% mais confortável

Pesquisadores holandeses desenvolveram uma suspensão ativa eletromagnética que melhora a eficiência da rodagem dos automóveis em até 60%.

O sistema também aumenta a segurança porque os carros equipados com ele não apresentam as “saídas” de frente e de traseira, que causam derrapagens e acidentes.

Carro que dança hip-hop

A demonstração da tecnologia, que será feita a partir desta semana na feira AutoRAI, em Amsterdan, começa com uma cena inusitada: sob a ação da suspensão ativa eletromagnética, o carro dança acompanhando um ritmo hip-hop.

“É claro que esta não é a intenção principal, mas ela certamente mostra o que o sistema pode fazer,” afirma Bart Gysen, um dos responsáveis pelo desenvolvimento.

As rodas do carro podem ser levantadas e abaixadas independentemente em uma fração de segundo – esta alta velocidade de atuação é o principal trunfo do sistema.

A suspensão eletromagnética foi desenvolvida por engenheiros da Universidade de Tecnologia de Eindhoven e está sendo testada pela empresa SKF em uma parceria com a BMW.

Conforto e segurança

Já existem outros sistemas de suspensão ativa, mas hidráulicos, o que significa que sua resposta não é rápida o suficiente para anular as vibrações causadas por irregularidades na superfície das ruas e estradas.

A nova suspensão ativa eletromagnética consegue fazer isto de forma eficaz, o que se traduz em um rodar muito mais suave.

Em testes de laboratório, usando uma só roda, o sistema se mostrou 60% mais suave. “Esperamos que esse aumento de conforto seja ainda maior em um carro real, quando as quatro rodas estiverem sendo controladas pelo sistema,” disse Gysen.

Além do aumento do conforto e da segurança, o engenheiro aponta que o novo sistema será valioso para equipar ambulâncias: “Uma ambulância equipada com esse sistema poderá transportar pacientes com maior velocidade e segurança e sem sofrer as vibrações do terreno.”

Suspensão ativa eletromagnética


A principal peça da suspensão ativa eletromagnética é dificilmente distinguível de um amortecedor comum – ela na verdade substitui o amortecedor.

Em seu interior há uma mola passiva, um forte atuador eletromagnético – com força suficiente para erguer o carro – uma unidade de controle e baterias.

Se a presença de baterias surpreendente, os engenheiros afirmam que isso é necessário para que o sistema seja inerentemente seguro – mesmo se todo o sistema elétrico do carro falhar, a suspensão ativa continuará funcionando.

No uso normal, contudo, o sistema usa a energia do sistema elétrico do carro – 500 watts, o que é cerca de metade da energia consumida pelo ar-condicionado. Suspensões ativas hidráulicas usam quatro vezes isso.

Obrigado

Problemas e Mais Problemas


Boa noite

Ter um carro é como um casamento… tem momentos altos e baixos, os momentos altos é ele cumprir o papel básico bem feito, os baixos é ele te deixar na mão quando você mais precisa ou quando ele simplesmente para de funcionar… vou colocar aqui algumas dicas de como resolver problemas “corriqueiros”.

Evite situações como esta:


O motor demora a pegar e se pegar engasga ou falha:
– Combustível adulterado
– Tanque de combustível com sujeira
– Bicos injetores entupidos ou sujos
– Vela cansada
– Cabo das velas com defeito
– Carburador sujo
– Platinado gasto
– Cachimbo gasto
– Filtro de combustível entupido
– Bomba de combustível com defeito
Após identificar o problema, troque a peça danificada ou leve-a para conserto. Procure oficinas de sua confiança ou a própria concessionária.

O carro começou a trepidar:  
– Coxim do motor defeituoso;
– Platô e disco de fricção defeituosos;
– Um ou dois cabos de vela podem ter se soltado ou, ainda, podem ter se partido;
– Se a trepidação é no volante, é problema de balanceamento ou alinhamento das rodas;
– A suspensão está com defeito.

O carro está consumindo mais combustível: 
– Vela cansada;
– Bicos injetores sujos ou entupidos ;
– Filtro de combustível entupido;
– Óleo do motor vencido, perdendo a capacidade de lubrificação;
– Correia do motor ou correia dentada frouxa;
– O motor está sendo forçado e as marchas não estão sendo usadas corretamente;
– Pneus descalibrados e/ou muito desgastados;
– Estilo agressivo de dirigir;
– Combustível adulterado;
– Tubo e filtro do respiro do óleo do cárter entupido;

Cuidados que podem ser observados para evitar o problema:
– Calibrar os pneus regularmente de acordo com as especificações do manual do proprietário
– Procurar abastecer em postos confiáveis e não se decidir apenas pelo menor preço
– Trocar o óleo dentro dos prazos estipulados no manual
– Fazer revisão preventiva em oficina de confiança ou concessionária
– Limpar o tubo do respiro do óleo do cárter e trocar esse filtro
– Fazer alinhamento regularmente.

As marchas arranham durante o engate:
– Embreagem com defeito no platô ou disco desgastado
– Pedal da embreagem mal regulado, muito alto ou muito baixo
– Trambulador do câmbio mal ajustado ou sincronizador desgastado ou com defeito
– Em situação mais extrema, dentes da engrenagem muito desgastados ou até quebrados

Câmbio pode ter vazamento de óleo? 
Mancha de óleo no chão embaixo da caixa de câmbio, seja ele manual ou automático, indica um vazamento. Ele acontece quando as juntas estão defeituosas ou se ocorreu espanamento das roscas do bujão. Se a mancha não for grande, leve o carro até uma oficina de confiança. Se for
muito grande, chame um guincho, lembrando que, no caso de carro com câmbio automático, tem que ser o do tipo plataforma.

Quando eu viro a direção até o final, um barulho vem da roda:  
Provavelmente a junta homocinética quebrou ou está para quebrar. Para testar seu funcionamento, vire o volante para um lado até o final do curso e tente sair com o carro. Se ouvir um estalo vindo da roda, realmente a homocinética está quebrada. Troque-a assim que puder.

Porque a direção hidráulica está muito pesada? 
– O fluido pode estar vencido, com o nível baixo ou misturado com água
– Deve-se verificar se há vazamento nas mangueiras ou em suas conexões
– A correia do compressor da direção pode estar frouxa
– As articulações junto ao sistema da direção, como terminais, ligamentos e braços da direção, podem estar com folga. É necessário verificar em uma oficina. Em alguns casos, um ajuste pode resolver. Dependendo da situação – geralmente em casos de desgaste exagerado – pode ser necessária a troca das peças danificadas.
– Defeito na caixa de direção
– Verificar alinhamento, cambagem e cáster
– Se a direção hidráulica fizer um ruído estranho ao ser esterçada de um extremo ao outro, esticar a correia soluciona o problema na maioria dos casos.

Um ruído intensivo vem das rodas quando o carro está em velocidade constante. Qual é o problema? 
Se o barulho vier da extremidade do eixo, bem junto das rodas, rolamentos desgastados ou defeituosos podem ser o problema. Os rolamentos evitam o atrito entre o eixo e o cubo da roda. A simples substituição deles eliminará o ruído.


O freio parou de funcionar, o que fazer?  
A primeira providência é reduzir as marchas, para que o freio motor ajude a diminuir a velocidade do carro, e puxar o freio de mão gradativamente. Não puxe a alavanca toda de uma só vez. Isso pode fazer o carro dar um “cavalo-de-pau”. Se você estiver no perímetro urbano e dependendo da velocidade, não haverá tempo para a redução das marchas. Passe para o freio de mão direto. Em rodovias, especialmente em descidas, vale a redução de marchas e o uso do freio de mão até a parada total do veículo – no acostamento, de preferência.
A falha de freio pode ter, basicamente, as seguintes causas: falta de fluido, vazamento do fluido por mangueira defeituosa, pastilhas ou lonas gastas ou cilindro-mestre (peça próxima do pedal de freio) com defeito.
Primeiro verifique o nível do fluido no reservatório do freio. Se ele estiver normal, o cilindro é a provável causa da perda de freio. Chame o guincho para tirar o carro do local. Aproveite para fazer uma revisão geral ao mandar realizar os reparos.

O marcador de temperatura do painel mostra que a superaquecimento. O que fazer? 
Pare o carro imediatamente. Se não fizer isso, ele esquentará ainda mais até queimar a junta do cabeçote ou até mesmo empenar o próprio cabeçote, o que comprometeria seriamente o motor. Com o veículo estacionado, abra o capô e espere o motor esfriar por quinze minutos.
Usando um pano, abra com cuidado a tampa do reservatório de água do radiador para verificar se está vazio. Se estiver, ligue o carro e só então coloque água. Depois disso, verifique se há vazamento em alguma mangueira do radiador ou se a correia da bomba de água está frouxa.
Essas são as causas possíveis do superaquecimento. Se estiver tudo em ordem, ligue o motor novamente e espere aquecer até atingir aproximadamente 90 graus centígrados (verifique no marcador de temperatura no painel). Observe se a ventoinha entra em ação. Se ela não funcionar, desligue o motor. Pode ser que o sensor, um fusível ou ainda a ventoinha estejam queimados. Leve o carro ao mecânico e troque a peça defeituosa.

Ferdinand Porsche


Boa noite,

A algum tempo eu tinha iniciado uma categoria sobre Biografias, de uma certa forma é uma homenagem que eu presto para os maiores nomes da indústria automobilísticas, com pesquisas realizadas em livros e diversos sites da internet,de uma forma bem resumida eu espero escrever alguma coisa bem prática sobre cada um deles.

Hoje vou postar a biografia de Ferdinand Porsche – pai do Fusca, que contrariando a opinião de muita gente ele não é alemão e o seu filho foi o sucessor, criador da Porshe que conhecemos hoje, enquanto ele se dedicava ao Fusca.

Ferdinand Porsche (1875-1951)

Austríaco, nascido no dia 3 de setembro de 1875 na cidade de Maffersdorf, Ferdinand Porsche foi o inventor do Fusca,o Carro de maior sucesso da história da indústria automobilística mundial. Ele mudou-se para a alemanha e em Viena trabalhou em uma firma de eletricidade entre os anos de 1893 e 1898. Mas o que ele queria era trabalhar com mecânica automotiva, por isso em 1900 ele construiu, para disputar corridas, um protótipo com motores elétricos e tração nas 4 rodas e outro, também elétrico, com tração dianteira. Em 1906 ele se associou a Daimler e em 1923 ele se transferiu para a divisão de Sttutgart. Em 1931 ele abriu sua própria empresa para projetar carrros esportivos – eis o início da Porsche -, mas em 1932, a pedido de Adolf Hittler, ele deveria construir um carro popular, porque a Alemanha, na época, tinha a metade do número de carros que haviam na França e Inglaterra. Junto ao seu filho, Ferry Porsche (1909-1998), ele desenhou o primeiro esboço do Fusca, um carro com desenho derivado dos Tatra, uma antiga marca tcheca que produzia carros com aerodinâmica e tecnologias avançadas. O motor também empregava a mesma técnica dos Tatra, era traseiro, com 4 cilindros horizontalmente opostos e refrigeração a ar. A suspensão era resistente, feita com barras de torção. Os protóripos dos carros foram denominados NSU tipo 32 e em 1936 o carro já estava pronto e havia recebido o nome de KDF (Kraft Freud Durch, ou Força Através da Alegria).

Porsche escolheu Wölfsburg para construir a sua fábrica. Para a guerra ele fez o Kubelwagen, um carro tipo camburão, e o Schwimmwagen, o carro-anfíbio. Em 1945 o Fusca havia trocado de nome, ele passou a chamar-se VolksWagen – Carro do Povo, em alemão – e daí em diante o carro passou a ser vendido em mais de 30 países.

Na década de 30 Ferdinand Porsche começou a construir os esportivos Porsche, e em 1949 fez a Kombi, o segundo veículo da VolksWagen. O primeiro Porsche foi construído por ele e seu filho, sendo que o primeiro modelo foi denominado de 356, lançado em 1936, que empregava a mecânica do Fusca. O modelo 356 teve três gerações: A, B e C, que foi substituído pelo 911, em 1963. Ferdinand Porsche dedicou mais sua vida ao fusca, enquanto Ferry Porsche, seu filho, se dedicou à criação da lendária Porsche. Ferdinand Porsche morreu em 1951.

O mais famoso carro popular foi idealizado por Adolf Hitler e entrou para a história da indústria automobilística, o Fusca.

Ferdinand Porsche foi quem deu forma ao que se tornou o carro mais vendido da história. O modelo da Volkswagen teve seus embriões em outros carros de formas arredondadas, mas foi mesmo o Fusca que entrou para a história. O carro popular por definição – o Fusca surgiu dentro do conceito alemão de “Volks Wagen”, ou seja, carro do povo – tinha muito das formas do carro de luxo. Porsche desenhou por encomenda da Auto Union, hoje a Audi, uma linha de sedãs de luxo que em muito se pareciam com o Fusca.

Mas foi mesmo o flerte com o luxo e o poder que permitiu a Porsche fazer sua criação mais famosa. O designer era amigo de um importante assessor do ditador Adolf Hitler e acabou sendo contratado pelo governo alemão em 1934 para desenvolver seu projeto. Mas Porsche tinha de seguir as exigências de Hitler: criar um carro capaz de transportar dois adultos e três crianças (ou três soldados e uma metralhadora), alcançar velocidade média de 100 km/h, não consumir mais de um litro a cada 13 km, ter motor refrigerado a ar e ser vendido por menos de mil marcos, a moeda da época.

Foram muitos protótipos até chegar ao modelo final, com motor traseiro de quatro cilindros, refrigerado a ar e sem radiador. A carroceria aerodinâmica foi desenhada pelo austríaco Erwin Komenda (1904-1966). Os primeiros modelos para teste surgiram em 1936 e enfrentaram as estradas alemãs com soldados ao volante. Em um segundo momento, optaram por instalar janelas traseiras, além de pára-choques.

O governo acabou aprovando o projeto, e o primeiro Fusca saiu da linha de montagem em 1940. Houve subsídio do Estado e um plano de parcelamento que permitiu que os alemães comprassem um Fusca pagando cinco marcos por semana. A Segunda Guerra Mundial acabou interrompendo a produção, e houve polêmica quando se tornou público o fato de se terem usado prisioneiros de guerra na linha de montagem. Foi só durante a ocupação da Alemanha pelos aliados que se voltou a produzir.

Dos muitos modelos que então surgiram, o de 1959 definiu a imagem que se consagraria nas décadas seguintes. Em 1973, o Fusca viveu seu auge: 1,25 milhão de unidades por ano ganhavam as ruas das cidades do mundo todo. O último modelo desse Fusca tradicional parou de ser produzido em 2003, no México, onde o uso em massa pelos taxistas rendeu ao carrinho sua maior sobrevida.

Obrigado

Dicas::: Mecânica Básica


Boa noite,

Eu costumo falar 2 coisas sobre carros, as pessoas menos entendidas do assunto podem me chamar de louco mas todo carro é único e o carro fala com você.

O carro é único porque o seu estado depende principalmente do cuidado que o seu proprietário tem com ele, é comum encontrar carros com 100mil km rodados encostados em oficina pronto para retífica completa ou parcial do motor, assim como é possível encontrar um carro na mesma marca/modelo/versão com 300mil km em perfeitas condições de uso.

Outra questão é o fato do carro falar com você, raramente um carro irá parar sem sinalizar algo no painel, quando não é no painel é algum barulho, vibração, rangido… alguma coisa acontece. Se você sentiu que o carro todos os dias está com dificuldade para dar partida, certamente algum problema maior acontecerá ao longo da semana ou depois de alguns dias.

Luz da injeção acessa, luz do freio de mão que não apaga… são sinais que nunca devem ser desprezados. Cada carro possui uma sinalização diferenciada, embora as cores e formatos das informações sejam padrões, é de extrema importância ler o manual do proprietário para saber quando e onde pode acontecer cada problema.

Se o carro é preparado ou possui alguma modificação, a atenção sobre os cuidados básicos devem ser redobradas, as vezes os problemas acontecem com pouca frequência, sendo assim você terá um prazo maior para identificar e resolver antes que o pior aconteça, um exemplo aparentemente bobo mas poucas pessoas reparam, são as lâmpadas da lanterna do carro (traseiro), quando ela simplesmente demora um pouco para acender em comparação ao do par, certamente ela irá queimar, a troca é simples, rápida e barata, porém é comum encontrar carros na cidade com as lâmpadas queimadas por algumas semanas.

Quando você pisa o pé no freio e ouve um barulho horrível de metal com metal…. certamente não é algo normal, o carro implora por pastilhas novas. Se eu perguntar para você quando foi que o filtro de combustível foi trocado pela última vez ou quando o fluído de freio foi trocado, você saberia me responder?

Vou postar algumas dicas, para quem está em uma situação de emergência.

Bateria:

Se a luz indicativa da bateria no painel estiver acesa, o problema pode ser com ela ou com o alternador, que pode estar com defeito ou quebrado. Quando isso acontece, a energia da bateria é usada até o fim sem que haja a reposição da carga. Levando o carro até um auto-elétrico, o problema será resolvido com uma recarga na bateria ou realizando-se sua troca. Se for o alternador, ele também pode ser recondicionado ou, em um caso mais grave, trocado.

Bobina:

Pode haver um superaquecimento da bobina, peça responsável por gerar a corrente de alta tensão que provoca a faísca nas velas. Quando isso ocorre, pode ser um sinal de desgaste da peça. Ela pára de produzir corrente e o carro não liga. O jeito é esperar que esfrie.

Para acelerar o processo, desligue a chave, abra o capô e coloque um pano molhado sobre a bobina. Esperando cerca de dez minutos, o carro volta a ligar. Trata-se de uma solução de emergência. Assim que puder, passe em um auto-elétrico e troque a peça.

Bomba de combustível:

Muitas vezes a bomba de combustível falha e não consegue mandar o líqüido na pressão ideal para o sistema. Em carros com injeção eletrônica, uma maneira de saber se ela está funcionando é fechar os vidros e tentar dar a partida. Nesse momento é possível ouvir o zumbido da peça funcionando. Se não escutar esse barulho, o problema certamente está na bomba. No caso de carro com carburador, pode-se desencaixar dele a mangueira do combustível e pedir a alguém que acione a partida. Normalmente, a gasolina sairá pela mangueira. Se isso não acontecer, ela está com defeito. Trocá-la é um procedimento rápido e que pode ser feito no local por um mecânico experiente.

Correia de entrada:

Ligada ao eixo do comando de válvulas, a correia é acionada pelo motor. Pode se partir, geralmente em movimento. À menor suspeita de que tenha se rompido, pare o carro e não tente dar a partida. A troca só deve ser feita em oficina ou concessionária. Mesmo assim, ajuda ter uma de reserva. Os fornecedores da peça recomendam sua substituição a cada 40 000 ou 50000 quilômetros.

Motor afogado:

O motor pode parar de funcionar com o carro em movimento ou nem dar a partida. Ele pode ter “afogado” por excesso de combustível. Provavelmente uma falha no sensor de temperatura provocou o problema. O afogamento ocorre com mais freqüência em carros equipados com carburador. Aguarde um tempo e experimente ligá-lo de novo. Se não der certo, chame a assistência técnica.

Tampa do distribuidor:

Tampa do distribuidor trincada não deixa o carro funcionar. Quando isso acontece, a distribuição de energia para as velas fica prejudicada, ocasionando fuga de corrente elétrica. A solução é trocar a tampa, o que se pode fazer até sozinho com um mínimo de conhecimento sobre mecânica.

Dia das Mães


Boa tarde!

Desejo a todas as mães e futuras mães um feliz dia das mães, não só nesta data mas em todos os dias. Na grande maioria a mãe tem cumprido o seu papel na sociedade, educando e criando pessoas da melhor forma possível.

Hoje o papel da mãe é fundamental para o desenvolvimento da sociedade, principalmente porque sabemos das dificuldades que encontramos todos os dias, a cada dia que passa sentimos de forma intensa a importância da mãe.

Aproveitem mamães hoje é apenas uma pequena homenagem diante de tudo o que nos tem feito.

Posso resumir tudo isso em apenas uma única palavra…. OBRIGADO!

Aproveitando vou postar um vídeo bem divertido de uma mãe dirigindo um Marea Turbo.

Abraços

::: Avaliações ::: Rede Classic Som Automotivo – Atendimento


Boa noite

Escrevendo sobre a loja Classic da unidade Morumbi, me fez lembrar de um atendimento que recebi no primeiro semestre de 2010, quase 1 ano depois eu retornei a loja para ver se algo havia mudado. Na ocasião eu acompanhei um amigo meu na instalação de um insulfilm em um Honda Civic e depois esse mesmo Civic voltou para a loja para a instalação dos faróis de milha.

Não tive a mesma sorte em ser atendido, eu estava atrás de uma loja que tivesse share de mercado para apenas construir a caixa com 3 sub’s do Cerberus, o projeto é audacioso, mas sua concepção é bastante simples, criar uma caixa com 3 sub’s em um porta malas justo parece ser difícil, mas depois de pronto 100% das pessoas falam “-Meu amigo faria para você!” ou “-Nossa loja faz ou já fez serviços neste nível!”.

Normalmente as pessoas visualizam a simplicidade somente depois de feito, quando explicado ou desenhado as idéias talvez não fiquem claras, porém este é o preço do pionerismo… dor de cabeça, stress, alguns momentos eu pensei em desistir, montar 3 subs em um carro sedan com porta malas que ficaria justo, sobrando espaço somente para um guarda-chuva é loucura….. e eu ainda queria uma caixa que fosse móvel, que permitisse retirar o estepe quando eu precisasse e além disso instalar uma bateria em um lugar praticamente morto, a lateral do carro, tirando as medidas ficou milimetricamente perfeito.

Cada história um problema, cada problema um desafio e cada desafio uma conquista….

Voltando a loja…… retornei agora porque eu estava ciente de que as coisas poderiam ser diferentes, o atendimento que antes foi negado agora poderia ser diferenciado porque eu pedi apenas a instalação de um DVD e Xenon nos milhas.

O atendimento por telefone foi muito bom, os preços informados foram alterados 3 vezes mas tudo bem, estamos aí para negociar…. a lei da oferta e da procura é superada pelo dinheiro na mão poder de negociação…..

O atendimento particularmente eu achei fraco, só a simpatia do vendedor não é o suficiente, na Classic da unidade Morumbi não existe sala de espera, apenas um conjunto de 3 cadeiras encardidas onde ficam largadas as ferramentas, quando se conhece o melhor dos mundos, espera-se que todas as lojas sigam o mesmo padrão.

O primeiro contato com o Kiko da Classic foi muito bom, tem poder de negociação e informa com exatidão o que a loja pode fazer no carro, algumas pessoas tem um grande poder de persuasão, o Kiko consegue de uma forma sutil “empurrar” algumas coisas, porém com bastante coerência ele talvez não seja uma daquelas pessoas que vendem um computador com 1tb de disco e empurram um cartão de memória de 2gb para completar, ele oferece alguns itens dentro de um conjunto que você se propôs a comprar ou adquirir.

Aproveitei o serviço do Kiko e empurrei alguns serviços também pela mesma mão de obra.

Luz de leitura para os passageiros.

3 “Puta que Pariu”, o Classic não tem como instalar para o motorista,

no Corsa C existe um Porta Óculos exclusivo para o Motorista

Câmera de Ré

E Finalmente o DVD

Tudo ficou muito bem instalado, com exceção da Câmera, que logo na primeira lavagem do carro já sofreu com infiltração. A avaliação da loja e do serviço completo será realizada na próxima semana. Não vou estender muito o assunto agora.

Obrigado

::: Avaliações ::: Rede Classic Som Automotivo


Boa noite,

Fazia um bom tempo que eu não postava uma avaliação de alguma loja, seja somente venda ou execução de um serviço. Normalmente esta seção de avaliações costumam ser extremamente críticas, os mínimos detalhes são observados, avaliados e pontuados.

Apenas reforçando o meu critério de avaliação (eu mesmo criei) para que tenha uma certa “harmonia” entre as notas, não sendo tendencioso demais ou pessimista, vamos rever os critérios e itens.

  1. Atendimento
  2. Localização
  3. Ambiente
  4. Custo
  5. Serviço
  6. Entrega
  7. Pós-Venda
  8. Prazo
  9. Propaganda
  10. Site da empresa

As notas dos itens são classificados e pontuados, são 2 categorias cada uma com peso de 50% e notas alternando entre 0 (zero) e 3 (três).

  • 0 –> Péssimo
  • 1 –> Ruim
  • 2 –> Bom
  • 3 –> Ótimo

Categoria Estrutura:

Atendimento : X
Localização: X
Ambiente: X
Site da empresa: X
Propaganda: X

Categoria Serviço:

Custo: X
Serviço: X
Entrega: X
Pós-Venda: X
Prazo: X

Total: X (Fórmula da média aritmética simples)

Iniciaremos então, a partir de agora as avaliações, narrando de forma clara os fatos…
O início
Para quem reside ou trabalha na Zona Sul de São Paulo, principalmente em regiões de grande movimentação, sofre para  a busca de lojas que ofereçam serviços com boa qualidade unindo custo e prazo de entrega, o que normalmente se encontra na região são pequenas lojas, com pouca ou péssima estrutura de trabalho e/ou atendimento.
As que atendem bem e entregam dentro do prazo, cobram – e bem – pelo serviço, sendo assim é possível encontrar-mos lojas que ofereçam instalação de insulfilm leve (mediano dentro dos padrões da capital) por preços absurdos que oscilam entre R$ 500,00 e R$ 800,00 por carro.
Farol de Milha

Farol de Milha

A algumas semanas, o Cerberus estava caolho de um dos milhas… viajei com o carro 2 vezes e o farol de milha até então me fez falta, até pelo simples fato de que eu uso ele como item de estética no carro, não agregando nada na condução do veículo, a visibilidade continua a mesma coisa, porque o meu conjunto de iluminação principal (farol) está em uma categoria acima dos milhas, com isso a iluminação proveniente do kit que está mais próximo do chão, serve simplesmente para criar uma “cortina” de luz ao redor do parachoque.
Sem muitas palavras, pensei comigo várias vezes “- estou ferrado !” o meu kit de milha não veio instalado originalmente no Cerberus, tive diversas adaptações e troquei o kit 2 vezes, na troca de kit a instalação foi mal feita e eu quase perdi o parachoque 3 vezes, ou seja… é o verdadeiro calcanhar de Aquiles de todo o meu projeto….
Trabalhar com farol de milha instalado no pós venda do carro é uma tarefa que exige do profissional conhecimentos de elétrica, paciência e dedicação, lembrando que um dos maiores problemas nesta instalação são causados por infiltração de água no conjunto e com isso acaba queimando, torrando e descartando todo o conjunto óptico.
Eu gostaria muito de ter uma central multimídia no Cerberus, um local onde eu pudesse ver fotos, vídeos e selecionar facilmente 1 rádio dentre as diversas que existe, ter o GPS integrado e acompanhar o Jornal Nacional no trânsito caótico de SP…. diante disso eu tenho 2 soluções ou eu me mudo para a rua do serviço e faço uma caminhada todos os dias ou eu faço um novo upgrade no Corsa.
O último upgrade que eu fiz no carro, foi realizado em Dezembro de 2010, onde foram instalados 2 Cornetas e 2 Super Tweeters para fazer um bom conjunto entre o Grave e o Stereo do carro, criando um verdadeiro palco musical em 4 rodas, pensei comigo mesmo, está na hora de ter um DVD no carro, diversos carros tem, é fácil de usar, o preço caiu devido a popularização do equipamento e além de tudo isso…. é fácil de instalar, não existe adaptação para que seja agregado ao meu projeto porque a fiação é de primeira qualidade.
Escolhi a Rede Classic, por se tratar de uma rede estável no mercado paulista, no site da empresa não fica muito claro a quanto tempo ela está no mercado, tem um logo discreto de 25 anos que deveria ser destaque, mas ele está tímido no cabeçalho do site…. porém sabemos que por se tratar de uma franquia podemos encontrar lojas com 1 mês de inauguração ou 10 anos de trabalhos ininterruptos.
A Classic fica bem próximo do meu local de trabalho, a primeira impressão do primeiro atendimento foi interessante, bom preço, bom prazo, boa condição de pagamento…. No segundo contato os prazos e valores foram revistos…. No Terceiro contato a história mudou quase que por completo, dali para frente eu já nem me recordo bem, mas mudou muita coisa, reforçando que não foi de uma forma negativa, talvez eu me identifiquei com a loja e seu representante oficial a partir do quarto contato.
Amanhã continuarei com a avaliação, pretendo até domingo escrever somente sobre a Classic (produto e serviço oferecido), se foi péssimo, ruim, bom ou ótimo, esperem para ler.
Obrigado