Dica Rápida: Ar condicionado


Boa noite,

Depois de deixar o carro estacionado sob o sol forte, nada pior que enfrentar aquele calor dentro do veículo. Muitas vezes, o motorista fecha imediatamente os vidros e liga o ar. O ideal é deixar os vidros abertos por alguns minutos, com o ar-condicionado ligado, e depois fechá-los. Assim, o ar quente é dissipado, dando lugar ao ar mais frio.

Outra dúvida comum diz respeito à utilização correta da recirculação. Esse recurso propicia um resfriamento mais rápido do automóvel e ainda impede que o ar externo entre no carro, o que é ideal para situações de trânsito pesado, com muita fumaça e poluição. Porém, a recirculação deve ficar ativa cerca de quinze minutos e depois desligada, evitando a sobrecarga do equipamento.

Obrigado

Palhetas


Ao instalar novo jogo de palhetas, limpe o vidro da seguinte maneira:

– Use solução de água com um pouco de álcool para limpeza do vidro. Aplique com um pano limpo. Esse procedimento ajudará na retirada das impurezas acumuladas no vidro;

– Para limpeza das borrachas (se necessário), use um pano umedecido com água limpa para retirar possíveis impurezas. Cuidado para não danificar os braços do limpador durante o processo;

– Use no reservatório de água do limpador solução de água com aditivo apropriado para limpeza. O aditivo ajuda na diminuição do atrito entre a borracha e o vidro, melhora a qualidade da limpeza e não corrói a borracha.

Banco de Couro


Para prolongar a vida útil do revestimento em couro dos bancos de seu carro, confira esses cuidados necessários:

Limpeza

1 – Poeira: retirar com pano macio e seco;

2 – Líquidos (café, leite, refrigerante, bebidas alcoólicas e água) e Produtos gordurosos (óleo, azeite, creme e chocolate):

– remover imediatamente com pano macio e absorvente, friccionando suavemente;
– limpar com pano levemente umedecido com água morna em solução de sabão neutro;
– deixar secar naturalmente.

3 – Recomendações:

Não utilizar objetos pontiagudos e/ou abrasivos, bem como solventes e produtos agressivos na limpeza, evitando assim danos irreversíveis ao material.

Embreagem – Pedal duro e ruídos


Substituir o conjunto de embreagem não se trata apenas de retirar o platô, disco e rolamento usados e simplesmente colocar outros novos no lugar. Junto da embreagem existem vários componentes que se desgastam simultaneamente e, portanto, não devem ser esquecidos.

Problemas de esforço excessivo de pedal e ruídos de acionamento, por exemplo, estão relacionados a componentes que formam o sistema de acionamento da embreagem.
Por esse motivo o aplicador profissional verifica todos os componentes envolvidos e os substitui sempre que necessário.

Fique atento aos principais causadores de pedal de embreagem dura e ruídos de acionamento:

– Desgaste ou deformação ao longo do tubo guia (moringa) – o desgaste do tubo poderá gerar o acionamento irregular do rolamento causando ruídos;

– desgaste nas hastes do garfo de acionamento – num garfo em boas condições de uso, a área de contato com o rolamento deve estar arredondada.

Alinhamento


São quatro os itens envolvidos no alinhamento: convergência, divergência, cáster câmber. Todos eles devem ser observados no alinhamento, que será feito:

1 – a cada troca de pneus;
2 – quando os pneus apresentarem desgaste excessivo na área do ombro;
3 – quando os pneus apresentarem desgaste em forma de escamas na banda de rodagem;
4 – se um pneu tiver maior desgaste do que o outro;
5 – trepidação das rodas dianteiras;
6 – vibração do carro;
7 – volante duro;
8 – carro tende para os lados quando o motorista solta o volante;
9 – carro desvia e puxa para o lado quando os freios são acionados;
10 – a cada 10 mil km (rodízio ou balanceamento);

DVD x Multa


A regulamentação do uso de geradores de imagem para fins de entretenimento está prevista na Resolução 242 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). A lei só permite a instalação no painel do veículo daqueles que, automaticamente, deixam de funcionar ou são capazes de substituir a imagem por áudio quando o veículo estiver em movimento. O monitor também pode ser instalado de forma que apenas os ocupantes dos bancos traseiros possam visualizar as imagens.
Quem descumprir as regras estará cometendo infração grave, sujeito a multa de R$ 127,69, cinco pontos na carteira de habilitação e mais a retenção do veículo para a regularização. Os aparelhos homologados pelas montadoras e disponíveis nas concessionárias já possuem ativado o sistema que desliga a função de imagem. Como o aparelho em si tem de ser instalado no painel do carro, a recomendação dos especialistas para que a imagem possa ser liberada é colocar as telas no teto ou no encosto de cabeça do banco.

Experiências – New Fit 2011 – 1.4 16v


Boa noite,

A alguns meses eu estava para dar andamento na categoria experiências, normalmente eu costumo escrever sobre os carros que passaram na minha mão seja para passear, viajar ou simplesmente dar uma volta de conhecimento.

Normalmente eu escrevo aqui os carros que eu dirigi por mais de 4 horas, muito melhor do que um test drive, o meu teste possui um olhar mais crítico, principalmente porque eu não tenho preferências,

não costumo comparar carros, na minha opinião, cada carro possui uma característica unica, embora na grande maioria dos testes é inevitável não ter um pequeno comparativo.

Hoje pretendo descrever para você caro leitor, a minha pequena viagem para o interior de SP a bordo de um New Fit 2011 LX, a motorização do carro é o 1.4 16v. Antes de entrar nos detalhes do carro, vamos conhecer um pouco sobre a linha New Fit, o carro pode ser encontrado em 5 versões, passando pelas mais acessíveis até a mais top de linha automática com motor 1.5 16v.

Logo de cara, ao entrar no carro você encontrará o nome FIT nas soleiras do carro, iluminado por um azul muito bonito, praticamente um cartão de boas vindas do carro, quando você entra no carro, se depara com um painel de coloração alaranjada que pouco incomoda a vista e ao acender os faróis a iluminação do painel ficará um pouco mais fraca – isso poderá ser alterado no próprio painel. Cheio de porta objetos o New Fit agrada seus integrantes. Versátil no trânsito e na estrada é um carro feito na medida.

O site da Honda está bem atualizado, com informações diretas sobre as 5 versões do carro.

http://www.honda.com.br/automoveis/Paginas/new-fit.aspx

Vamos aos detalhes, carro praticamente novo, o cheiro de novo ainda permanece em seus bancos e por todo carro. Debaixo do capô encontra-se o motor bem acomodado, justo para o espaço que nele se encontra. Posição de guiar é muito boa, o parabrisa longe do motorista – assim como no New Beatle.

Sempre abastecido no etanol o carro rende 101cv de potência (100cv na gasolina), ligeiro na cidade, este item não pode passar despercebido, principalmente porque eu estava sozinho no carro, teste de potência seria o carro com no mínimo 4 adultos no carro e o porta malas com alguma bagagem.

Sozinho o carro se comporta bem, o acelerador responde bem aos comandos do pé e o câmbio possui engates curtos e precisos, adorei o câmbio do carro é suave, as marchas são trocadas sem muito esforço.

O espaço interno do carro acomoda bem o motorista, o carro é cheio de porta trecos, existem 2 porta garrafas na frente das saídas de ar condicionado que tem o objetivo de manter água ou a bebida sempre fria – acreditem ou não isso faz falta na maioria dos carros.

O rádio é simples, mas funciona muito bem, quem busca economia e quer um carro bom fique com a versão DX e coloque o rádio de sua preferência na concessionária.

Na estrada o carro demonstrou ser bastante ágil, eu ficava me perguntando como seria dirigir a versão 1.5, porque a 1.4 anda muito bem, as 16v fazem muita diferença no carro, comparando com a versão antiga do carro o 1.4 8v não tinha um desempenho tão bom quanto este na estrada. O carro é confortável, bonito e o melhor de tudo… completo.

Equipado com 2 air bags, rodas de liga leve, vidro elétrico (4 portas), ar condicionado e direção elétrica, fazem parte do pacote de itens de série do carro. A direção elétrica é muito mais suave do que a hidráulica e ainda de brinde você não perde potência em ter ela instalada no seu carro.

Motor i-VTEC Flex: potente e eficiente

O motor i-VTEC Flex (Controle Eletrônico Variável de Sincronização e Abertura de Válvulas) está aplicado em todas as versões. A tecnologia varia tanto o tempo quanto a profundidade de abertura das válvulas para máxima eficiência em diferentes regimes de marcha.

Foi o primeiro modelo da categoria a disponibilizar transmissão automática de cinco velocidades –todas as versões também possuem transmissão manual de cinco velocidades. A presença de cinco marchas possibilita oferecer um melhor escalonamento, aproveitando ainda mais o rendimento do motor em diversas faixas de rotação e carga.

E mais: o New Fit possui o sistema eletrônico de aceleração DBW (Drive-By-Wire), que proporciona melhor dirigibilidade, uma vez que permite que a potência máxima e o torque sejam atingidos em sua plenitude. O modelo mantém a injeção de combustível multiponto programada PGM-FI (Programmed Fuel Injection). Outro detalhe é Paddle-Shift, sistema que permite trocas de marcha manuais com o acionamento de alavancas localizadas no volante, aplicado na versão 1.5 EXL.

Comparando com a versão anterior todas as dimensões evoluíram. A distância entre eixos passou dos 2.450 mm para 2.500 mm. Como benefício, maior espaço no habitáculo. O comprimento aumentou 70 mm (de 3.830 mm para 3.900 mm), assim como sua largura, que passa a contar com 1.695 mm, 20 mm a mais que a geração anterior.

É um carro novo, merece ter New no nome.

Obrigado

Punta-Taco


Boa tarde,

 

Este termo é bem antigo – Punta-Taco, vou criar um tópico a respeito porque está relacionado ao meu anterior sobre embreagem.

A redução punta-taco é um ato para ganhar tempo no contorno de curvas. Durante o punta-taco, você estará controlando o volante com a mão esquerda, trocando de marcha com a mão direita, pisando na embreagem com o pé esquerdo e acionando simultaneamente os pedais de freio e acelerador – tudo exatamente ao mesmo tempo.

Achou confuso? Realmente, lendo o texto acima parece algo bem complicado – e de fato é. Um vídeo abaixo relacionado sobre Punta-Taco irá traduzir de forma prática como deve ser feito.

 

Etapas
1. Tire o pé direito do acelerador e pressione o pedal do freio.

2. Um pouco antes do final da freada, o pé esquerdo aciona a embreagem.

3. A mão direita reduz a marcha (a esquerda continua no volante).

4. O pé direito ainda está acionando, porém reduzindo a pressão no freio, e gira para que o calcanhar se posicione sobre o canto do acelerador.

5. O calcanhar direito pressiona rapidamente o acelerador para subir o giro do motor (aponta do pé ainda está no freio, aliviando ainda mais a pressão).

6. O pé esquerdo libera a embreagem, o pé direito fora do acelerador.

7. O pé direito termina a frenagem.

8. O pé direito escorrega de volta para o acelerador e retoma sua posição normal apenas para fazer alguma pressão de modo a manter a velocidade do carro através da primeira parte da curva. Então acelera para a saída da curva.

Obrigado

Embreagem


Boa tarde,

 

Estava lendo alguns tópicos na internet sobre carros preparados e vi que pouca parte deles possuem embreagem própria para a nova potência do carro, normalmente para reduzir o custo do projeto de preparação, as pessoas normalmente permanecem com o conjunto original de suspensão, freio e embreagem, com o objetivo de “moer” para depois trocar por outra original ou preparada.

Normalmente o conjunto original, quando novo, aguenta bem o serviço, porém sua vida útil é reduzida em pelo menos 50%, supondo que uma embreagem tenha uma vida útil de 60mil km, esta quando utilizada em um carro de alta performance, aguentaria o serviço por no máximo 30mil km.

Vou detalhar alguns pontos sobre a embreagem, assim partir para um novo tópico sobre embreagem de cerâmica.

A embreagem destina-se a desligar o motor das rodas motrizes quando se efetua uma mudança de velocidade ou quando se arranca. Torna-se assim possível engatar suavemente uma nova engrenagem antes da transmissão voltar a ser ligada, ou quando houver um novo arranque, permitindo que o motor atinja as rotações suficientes para deslocar o automóvel.


O desembrear faz-se separar três partes do conjunto da embreagem: o volante do motor, o disco e o platô, ou placa de pressão da embreagem. O volante do motor está fixado por meio de parafusos ao virabrequim e roda solidário com este; o disco de embreagem encaixa, por meio de estrias, no eixo primário da caixa de cambio e, assim, roda com este; o platô da embreagem fixa o disco de encontro ao volante do motor.

Quando se diminui a pressão do platô (carregando no pedal da embreagem), o virabrequim e o eixo primário da caixa de cambio passam a ter movimentos independentes. Quando o motorista soltar o pedal, aqueles tornam-se solidários.
Ambas as faces do disco da embreagem, um disco fino de aço de elevada tenacidade, estão revestidas com um material de fricção (a guarnição da embreagem). Quando o disco da embreagem está fixado de encontro ao volante do motor por meio do platô da embreagem, a força de aperto deverá ser suficientemente grande para evitar qualquer deslizamento – patinagem – sempre que o motor transmite o binário motor (torque) máximo ao volante.


As expressões “embreagem de diafragma” e “embreagem centrífuga” derivam dos processos segundo os quais a carga é aplicada aos revestimentos de fricção. Numa embreagem de molas, o platô é impelido por um certo número de molas helicoidais e aloja-se, juntamente com estas, numa tampa de aço estampado, fixa ao volante do motor. As molas apoiam-se nesta tampa e exercem pressão sobre ela.
Nem o disco da embreagem, nem o platô estão ligados rigidamente ao volante do motor, podendo ambos aproximar-se ou afastar-se deste.

 

Obrigado