Os problemas com a gasolina


Boa noite,
A gasolina apresenta dois problemas quando queimada nos motores dos carros. O primeiro problema tem a ver com a névoa fotoquímica (smog) e o ozônio de baixa altitude nas grandes cidades. O segundo problema tem a ver com o carbono e os gases do efeito estufa.

Ao queimar gasolina, os carros deveriam fazer isto de forma perfeita e não criar nada além de dióxido de carbono e água no cano de escapamento. Infelizmente, o motor de combustão interna não é perfeito. No processo da queima de gasolina, ele também produz:

* monóxido de carbono, um gás venenoso
* óxidos de nitrogênio, as fontes principais da névoa fotoquímica
* hidrocarbonetos não-queimados, a fonte principal de ozônio urbano

Catalisadores eliminam boa parte desta poluição, mas também não são perfeitos. A poluição do ar vinda dos carros e das usinas termoelétricas é um problema real nas grandes cidades.

O carbono também é um problema. Quando queimado, ele se transforma em uma grande quantidade do gás dióxido de carbono. A gasolina é principalmente carbono em peso, então um litro de gasolina deve liberar 0,7 kg de carbono na atmosfera. OS EUA lançam aproximadamente 900 milhões de quilogramas de carbono na atmosfera todos os dias.

Se fosse carbono sólido, seria extremamente perceptível, pois seria como lançar um saco de 600 gramas de açúcar para fora da janela do carro para cada litro de gasolina queimada. Mas como os 600 gramas de carbono saem como um gás invisível (dióxido de carbono), a maioria de nós não tem consciência disso. O dióxido de carbono que sai do escapamento de cada carro é um gás causador do efeito estufa.

Os efeitos finais são desconhecidos, mas há a forte possibilidade de haver mudanças de clima extremas que afetarão a todos no planeta (por exemplo, os níveis dos mares podem subir, inundando ou destruindo cidades costeiras). Por essa razão, há esforços crescentes para substituir a gasolina pelo hidrogênio.
Um aditivo comum na gasolina é o MTBE. MTBE é o acrônimo para éter metil-butil terciário, uma molécula razoavelmente simples que é criada a partir do metanol.

A imagem acima é um aditivo comumente vendido nos anos 50, o MTBE só foi incorporado no Brasil nos anos 70.

O MTBE passou a ser adicionado à gasolina por dois motivos:

1. Ele aumenta a octanagem.
2. Ele é um aditivo oxigenado, ou seja, acrescenta oxigênio à reação durante a queima. Por definição, um aditivo oxigenado reduz a quantidade de hidrocarbonetos não queimados e monóxido de carbono no escapamento.

O MTBE começou a ser adicionado à gasolina amplamente depois que a Lei do Ar Limpo, de 1990, entrou em vigor. A gasolina contém de 10 a 15% de MTBE.

Comentário final: Se a gasolina contém de 10 a 15% de aditivo o resto é o que??? gasolina que não é….

Pergunta do dia: Onde é aplicada a gasolina azul atualmente e quais os benefícios e malefícios?

Obrigado